Autofocus

Olhando os testes que o Rob Galbraith fez com a Canon 1D Mark III ficou claro para mim que a questão do foco vai longe. Basta dar um google no nome dele junto com o da câmara para ver o quanto isso foi discutido por ai.
O fato é que todo mundo esperava que o autofocus da Mark III fosse melhor que o da Mark II, mas não é ele constatou, por várias razões. A primeira é um vacilo, uma peça do conjunto do espelho que quando quente se deforma e causa um erro constante no foco. A segunda é um problema que não deveria ser problema. O foco da Mark III parece rápido demais, assim coloca Galbraith. Ou seja, o foco segue movimentos que não deveria seguir porque é capaz de seguí-los e isso é um problema. Um atleta correndo na pista, a 50 metros do fotógrafo que tem uma 400mm/2.8, a mão do atleta passa pela frente de seu torso durante a corrida e imediatamente o foco vai para mão, saindo do rosto do atleta. É impressionante, são páginas e páginas que Rob Galbraith escreveu contando todos os testes que fez com a câmara. As câmaras anteriores simplesmente não capturam variações tão rápidas da cena, a ponto de mudar o foco para a mão do atleta como no exemplo que ele mostra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s