Quarto escuro

Primeiro havia recebido do André, agora de Mariana, é o link que coloquei ao lado sob o nome: Richard Nicholson Darkrooms. O fotógrafo realizou um ensaio fotografando o interior de laboratório fotográficos de impressão na cidade de Londres. Vale a pena ler o texto, nostálgico, uma ode ao ampliador fotográfico, que o autor considera uma das obras-primas da indústria moderna.

O fato é que o ensaio, o texto, as fotos, os ambientes retratados me fizeram partir para uma série de idéias, nostálgicas ou não, que se combinaram com a dificuldade que passo agora para adquirir tiossulfato de amônia, matéria-prima do fixador fotográfico rápido (segundo Anchell, o único seguro para filmes contemporâneos, blá, blá, blá).

O texto de Benjamin, “A Obra de Arte na Era da sua Reprodutibilidade Técnica”, iniciado em 1936, publicado em 1955, fala dos efeitos da fotografia, das gravações sonoras e do cinema na arte. Enfim, o texto fala de mudanças fortes, duras, permanentes. A Era Digital por sua vez trouxe inúmeras mudanças para nossa noção de arte, um texto como o de Benjamin provavelmente será escrito daqui uns anos, quando tudo parecer mais claro.

Richard Nicholson fotografou uma cena desse drama de mudanças. Se falássemos da Megera Domada e a fotografia fosse Kate, quem seria Petrúquio?

Os quartos-escuros das fotos, sua decoração e seu conteúdo falam de um ritual que ocorre dentro deles: homens e mulheres imaginam (visualizam segundo Adams) os efeitos de papéis e químicos, deixam que suas mãos dancem do caminho da luz, sentem o cheiro do ácido acético, ouvem música, procuram ver na luz rala. Não há como comparar o resultado de uma sessão de laboratório com uma sessão de inkjet. Uma pena que a Era Digital vai impor o inkjet até para muitos trabalhos que ficariam melhor numa cópia feita pela mão do artista com sais de prata.

É certo que vão surgir outros rituais (esses incluindo a inkjet ou o que vier) e esses serão os nossos rituais daqui para a frente. Uma pena que não serão no escuro.

Anúncios

5 ideias sobre “Quarto escuro

  1. =) Pri!!!

    “É baseado em minha nostalgia para um ofício de MORTE.”

    “Eu passo agora menos tempo no laboratorio e mais tempo na frente do computador.”

    só ele né rs!

    Resposta
  2. =) Pri!!!

    GUI PRECISAMOS URGENTEMENTE RESOLVER AS IDÉIAS DETURPADAS DO FLUSSER NA MINHA MENTE, eu preciso pensar diferente, interpretar diferente, e você tem que passar leituras menos aborrecidas do que as da sontag, por Cristo homem tem que ter alguma coisa que preste nessa tal de fotografia. Não pode ser tudo aparelho, funcionário e instrumento de caça, tem que ter algo que se salve, e não me venha com memória.

    Resposta
  3. =) Pri!!!

    Aliás o precisamos é no sentido de que você pode me indicar algo decente pra ler sobre FOTOGRAFIA NÉ, se é que alguém já escreveu algo assim… pode ser em inglês vou ficar um ano pra traduzir mas vá lá, tudo por meia dúzia de palavras otimistas sobre a coisa, afinal aindei descobrindo que expressão é algo que jamais poderá ser materializado… então falta de expressão fotografica, por falta de expressão pintada tanto faz né, e não me venha com argumentos de meia tigela a lá Da Vinci usava binoculos, oculos, lente e espelho, tenho sã consciencia de que a gente nem com tudo isso, chega no dedinho dele, então vamos argumentos plausiveis sobre a fotografia ser uma arte, e mais que arte, ser algo pro bem, e não simplesmente uma proliferação insana de imagens, que qualquer um faria, o que é que só nós fotografos fazemos, qual é o nosso diferencial???? porque é que não somos funcionários???

    Resposta
  4. =) Pri!!!

    Ah, agora que entendi, nós os fotografos somos o Petruquio??? (SERÁ QUE PRECISO LER ESSE LIVRO) ou ver o filme basta?
    mas… sou mulher acho que cairia melhor no papel da catarina, será que então a fotografia É O PETRUQUIOOOO
    ooOoOOoOoOooO rs rs rs

    Agora falando sério, acho que a “kate” é a maquina social que usa dá fotografia, o nosso tal sistema, não A FOTOGRAFIA, ela só existe porque nós existimos dentro desse mundo capitalista e bla bla bla, olha pelo que entendi ela só tem a função denotamos a ela, logo nós que estamos por trás de todo o sistema, mas nem temos consciencia disso, é que somos a tal megera, e a fotografia talvez seja o petruquio enrustido de muitos, olha até que foi bem Poliana!

    Resposta
  5. =) Pri!!!

    Acho bom que não sejam no escuro e meu Deus como sou atrasada, ainda to tentando entender os laboratorios e os sais de prata, já tão vindo com essa de jet, caramba daqui a pouco a gente virou os Jetsons (pode estar errado) e eu não percebi… será que quero perceber, será que dá pra me enfiar no meu mundo bolha de flores e viver lá pra sempre, ou ao menos até onde durar o meu sempre.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s