Arquivo diário: 15/03/2011

Teste Liquid Light sobre vidro de scanner

E no último encontro de segunda-feira o evento principal foi finalmente conseguir emulsionar um pedaço de vidro.

O vidro é sucata de um dos vários scanners que passaram por aqui (por isso tem a faixa branca em forma de T alongado). A emulsão foi a LE30 da Fotospeed, as instruções foram as do Liquid Light da Rockland.

Aproveitando que a câmara 30x40cm estava pronta e à disposição e que a fotometria da piscina também estava em cima, a foto ficou assim:

Foto do negativo foi feita pela Wicca.

Todos os contatos, do vidro e dos negativos da câmara 30x40cm, foram feitos em Kodak Kodabromide F2 RC revelado em Agfa 108.

Anúncios

ULF 30x40cm

As primeiras imagens, de teste, com a câmara 30x40cm.

Na primeira de todas, ocorreu um vazamento de luz, pontos brancos na parte inferior da imagem. O mais impressionante é o tamanho do círculo da imagem projetada para lente 140mm.

O segundo teste na verdade foi deixar a câmara na luz durante uns minutos, como na foto anterior, e ver se a adição de fita preta tinha resolvido os vazamentos de luz. escolhi uma outra vista que desse uma parte inferior da imagem bem escura, não apareceram mais os pontos brancos.

Com a ajuda da Wicca (responsável pela imagem acima), desci à piscina. Câmara apoiada no chão, tudo nivelado, tudo retinho. No negativo, o nível de detalhe nas cadeiras brancas ou na borda da piscina do lado de lá é impressionante. Foram 3s com f/45, filme Lith, revelado em Diafine na bandeja (ISO aprox. 12).

A combinação de filme Lith, como o Kodalith, com Diafine é muito bacana. O Diafine é um revelador dividido e segura bem as altas luzes, compensando bem nas baixas. Nessa foto o tempo pedido pelo fotômetro era de 1 minuto, expus 10 minutos. Ficou mais contrastado que os outros negativos, mas nada grave, ou que um filtro 00 na ampliação não resolva.