Arquivo da tag: raw

Raw no Linux, de novo, mais uma vez

Só fuçando novamente nesse assunto, que já mencionei em 3 posts no passado, mas que continua sempre na minha mente.

O Gimp continua como a ferramenta básica para retoques, aqui: https://www.gimp.org/

Para organizar e editar RAWs seguem:

E o Darktable está na versão 4.20, última vez que falei aqui ainda era 1.0 talvez: https://www.darktable.org/install/

RawTherapee também avançou muito e está aqui: https://rawtherapee.com/

Outras coisinhas:

O blog do Pascal, apesar de meio abandonado, tem umas dicas para criar perfis para impressoras: https://encrypted.pcode.nl/

Já usei o imagemagick e o negfix8 no passado, dentro do MacOS, pela linha de comando como parte de um processo para arquivos RAW criados pelo scanner Pakon.

São coisas a serem exploradas: https://imagemagick.org/ e https://sites.google.com/site/negfix/

Nasa Perseverance • Pasta com imagens não processadas

A Nasa já publicou mais de uma centena de imagens não processadas da missão que acaba de chegar a Marte:

https://mars.nasa.gov/mars2020/multimedia/raw-images/

E se você quiser saber onde está o rover Perseverance, se liga nesse mapa interativo (a propósito, ele só deve começar a se movimentar na semana que vem):

https://mars.nasa.gov/mars2020/mission/where-is-the-rover/

Testes com uma Nikon D200

A Nikon D200 foi uma resposta um tanto tardia aos anseios dos nikonzeiros por uma câmera Nikon digital decente. Para fins de localização, fiz uma linha do tempo simples abaixo, ignorando modelos de entrada e modelos profissionais.

Canon D30 (05/2000)
Nikon D100 (02/2002)
Canon D60 (02/2002)
Canon 10D (02/2003)
Canon 20D (02/2004)
Canon 5D (08/2005)*
Nikon D200 (11/2005)
Canon 30D (02/2006)
Canon 40D (08/2007)
Nikon D300 (08/2007)
Nikon D700 (07/2008)*
Canon 5D mark II (09/2008)*
Canon 50D (10/2008)
Nikon D300s (07/2009)

É interessante ver a Canon lançando 7 modelos com sensor crop enquanto a Nikon lança 4. Situação similar acontece nas full frame, 2 modelos contra 1. A resposta é tardia nesse mercado do amador avançado, mas a resposta é certeira. A Nikon D200 é incrível, até hoje em 2018 (quando lembro que comprei uma 40D no lançamento e ela durou apenas um ano até pifar a primeira vez, dá uma dor, um arrependimento).

Enquanto a Canon 1D de 2000 foi a última câmera Canon com CCD, a Nikon fabricou a D200 até 2007 com esse mesmo tipo de sensor. Só na D300 que a Nikon se rendeu ao baixo custo do CMOS.

Mas o ruído nem é tão ruim assim, principalmente levando em conta o avanço dos programas de conversão de RAW de hoje em dia.

O controle das altas luzes já era maravilhoso e a invasão de cor nas sombras quase zero. É um sensor bem decente para os padrões de hoje.

O detalhamento de objetos pequenos é muito bom e o tom de pele é razoável para ótimo dependendo da situação, diria inclusive melhor que das Sony A7 quando usando RAW.

Esse exemplar for fabricado em 2007, já no fim da produção e continua firme e forte!

Infravermelho com a Sony F828

Além de escanear o Tatuapé, aproveitei essas paisagens incríveis da cidade se modificando para fazer algumas imagens em infravermelho com uma nova câmera, uma Sony F828 de 8MP.

Essa câmera tem a função Night Shot, que por si só não é bacana para IR, mas que abre algumas brechas. Uma delas é que com o uso de um super imã, você pode mover o filtro IR-cut dentro da câmera abrindo as portas para o IR sem ter que acionar o Night Shot.

Usei um filtro de 850nm que é bem escuro, fotografei em RAW e em ISO 64 para segurar tudo que se pode e converti no Lightroom posteriormente. Um novo caminho para explorar.

Raw no Linux, mais uma vez

Volta e meia eu dou uma fuçada na situação do processamento de arquivos RAW através de Software Livre em plataforma Linux.

Nesse início de ano as surpresas foram muitas, o Rawstudio está prestes a ter uma versão 2.0 lançada e o apareceu também um programa chamado Darktable (um tiração com o Lightroom) que parece bem promissor. Leia um post de Pascal de Bruijn sobre o Darktable.

Um outro programa que já existia há um certo tempo é o RawTherapee, que agora se tornou livre (GPL).

Vale também ver a Wiki do projeto Open Source Photography.