About

O título original do blog era “Anotações de Guilherme Maranhão sobre a influência de coisas adquiridas ou do lixo ou de ninguém no processo de criação fotográfica”. O blog nasceu durante a época da produção do meu TCC, em 2005, as anotações que eu colocaria eu um bloquinho foram parar no refotografia.blogspot.com, que depois exportei para o WordPress onde permanece até agora. Da fotografia analógica até a fotografia digital, passando por diversos equipamentos de transição, explorei diversos caminhos e fui anotando aqui.

Quem é o autor?

Sou Guilherme Maranhão, nasci em 1975, no Rio de Janeiro. Atuei em São Paulo até 2018 e em 2019 me mudei para a Europa. Sou artista visual. Publiquei o livro Travessia (2015) e o livro Anotações de um Fotógrafo Experimental (2022). Também colaboro com o FotoPlusTV e fui apresentador do programa Foco Crítico e organizador da FRoFA. A seguir uma lista mais completa das coisas que eu fiz nesse tempo todo:

Bacharel em Fotografia pelo Centro Universitário Senac, SENAC/SP, Brasil.
Colaborador de O Estado de S. Paulo, Folha de São Paulo, Revista Globo Rural, Jornal Valor Econômico, entre outros.
Sócio na D+G Soluções Fotográficas que atua no mercado de fotografia social, especializada em casamentos e na Saudades Edições Fotográficas uma galeria online de fotografia de viagem.
Apresentador do Foco Crítico entre 2015 e 2017 um programa de entrevistas ao vivo com fotógrafos totalizando 90 transmissões.
Trabalhei com reprodução de fotografias em filme diapositivo em 1993. Em 1998 tive a oportunidade de reproduzir o Códice Costa Matoso de 1749 para a que a Fundação João Pinheiros de Minas Gerais pudesse fazer um livro sobre essa obra em 1999.
Comecei a trabalhar com escaneamento de fotografias em 1995, tive a oportunidade de trabalhar com diversos tipos de tecnologia desde então. Operei um pequeno ateliê com scanners Screen e ICG, tanto de cilindro como planos. Também utilizei câmeras digitais para fazer as capturas. Atendi diversos artistas tais como Edith Derdyk, Ana Teixeira e Cleiri Cardoso além de editoras e instituições. Em um projeto para a artista Iara Freiberg, transformei negativos coloridos 35mm em painéis de 4×6 metros que integraram a exposição Nenhum Lugar na Funarte de São Paulo. Outros projetos mais recentes de reprodução incluem o Acervo Gilda e Antonio Candido Mello e Souza (IEB/Itau Cultural) e a Beinal Naif (SescSP).

Organizei nos últimos 11 anos diversas oficinas, workshops e apresentações artísticas, dentre as quais:
• oficina Pequenos Livros, Pequenas Tiragens (Sesc Pompéia, 2008)
• oficina Construção de Câmera Digital Artesanal (Sesc Pompéia, 2006; MIS, 2006; MAC-USP, 2008; CLIF Curitiba 2011; Festival Cinco Sentidos, Alemanha, 2012; Tira-Olhos em Lisboa, 2020 e 2022, entre outros)
• oficina Fotolivros: Soluções Alternativas e Bricolagem (Sesc Vila Mariana, 2015)
• oficina Hack Foto Lab (Sesc Belenzinho, 2014, 2015 e 2016)
• oficina Armadilha para o Acaso (Sesc Belenzinho, 2014, 2015; Sesc Consolação, 2015, Sesc Campinas, 2016)
• professor visitante na Universidade Anhembi Morumbi e na pós-graduação em Fotografia da FAAP.

Participei de mesas de discussão nos seguintes eventos:
• “Digital Experimentation”, no EXP. 20 International Festival on Experimental Photography, Barcelona, 2020.
• “Bricolagens e Traquitanas”, no IV Encontro Pensamento e Reflexão na Fotografia, MIS-SP, 2015.

No meu trabalho artístico eu olho para a impermanência do digital e do analógico. Centrei minha pesquisa na busca de imagens fotográficas que exploram o acaso por meio de intervenções em seu processo de formação e da subversão das ferramentas produzidas pela indústria. Realizei exposições individuais no Itaú Cultural e na Casa da Imagem, em São Paulo, no Ateliê da Imagem, no Rio de Janeiro e na Gallery 44, em Toronto. Entre outras exposições coletivas, participei da Desidentidad no IVAM, em Valencia, Geração 00, no Sesc Belenzinho e Elogio da Vertigem, na MEP, Paris. Recebi os prêmios Porto Seguro e Marc Ferrez.

Exposições individuais
“Osasco”, USP – Ribeirão Preto, 1999.
“Plural”, Gallery 44, Toronto, 2003.
“Plurais”, Espaço Viga, São Paulo, 2003.
“Meu Corpo”, Itaú Cultural, 2005.
“Pluracidades”, Ateliê da Imagem, 2008.
“Travessia”, Casa da Imagem, 2015.

Exposições coletivas
“A Casa da Vó”, Centro Cultural São Paulo, São Paulo, 1996.
“Osasco”, Centro Cultural São Paulo, São Paulo, 1998.
“Lunar Exploration”, Kitchener Waterloo Art Gallery, 2003.
“Plural”, Espaço Porto Seguro Seguros, 2005.
“Desidentidad”, IVAM, Valencia, Espanha, 2006/7.
“Paisagens Transitórias”, Prêmio Porto Seguro 2007.
“Retrato em Questão – a Imagem Brasileira”, Prêmio Porto Seguro 2008.
“Photoimpressões”, Espaço Coleção Particular, 2010.
“10 Anos do Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM-SP”, MAM-SP, 2010.
“Geração 00”, Sesc Belenzinho, 2011.
“Elogio da Vertigem”, Maison Européenne de la Photographie, 2012.
“Cidade Gráfica”, Itaú Cultural, 2014.
“Arte Londrina 3”, DAP, 2015.
“A Conversão de São Paulo”, Ateliê Fidalga, 2016.
“Fotografias: Pequenos formatos, Grandes Formatos”, Lombardi Galeria, 2017.
“Amor em Tempos de Cólera”, Casa dos Crivos, Braga, 2021.

Performances
“Lambe-Lambe QuemVocêPensaQueÉ?”, com Penna Prearo, Mostra Sesc de Artes 2012.
“Lambe-Lambe QuemVocêPensaQueÉ?”, com Penna Prearo, Circuito Sesc de Artes 2013.

Imagens em Coleções
“Plural III” e “Plural VII” adquiridas pelo MAM-SP em 2006.
Sem título, da série Pluracidades, Coleção Porto Seguro em 2007.
Sem título 1, 2, 3 e 4, da série Pluracidades, adquiridas pelo MAM-SP em 2008 (Clube da Fotografia).
Sem título 2-14, da série Pluracidades, adquirida pela Coleção Itaú em 2011.
Sem título 1, 2 e 3 da série Pluracidades, adquirida pelo MAC-USP em 2018.

Prêmio
Vencedor do Prêmio Porto Seguro de Fotografia 2007 (Pesquisas Contemporâneas), com “Pluracidades”.
Vencedor do Prêmio Marc Ferrez Funarte 2014, com “Travessia”.

5 ideias sobre “About

  1. barbaraporto

    Oi, através de um link no blog da Helena cheguei até aqui. Também achei a ideia do teu blog fantástica. Além de criativa é ecologicamente interessante.
    Parabéns. :)

    Resposta
  2. Carlos Pilz

    Olá amigo, vi q eventualmente vc vende alguns equipamentos.
    Estou atrás de uma lente 50mm f2, preferência Summicron para uma Leica M9…
    Sabe de alguma V3?

    Resposta
  3. Pingback: FOTOGRAFIA PORTUGUESA, UM PROJETO DE GUILHERME MARANHÃO – 1.ª e 2.ª SÉRIE | FASCÍNIO DA FOTOGRAFIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s