Arquivo da tag: livro

Obscuro Mito • garanta o seu exemplar!

Obscuro Mito (e ainda é fotografia) de Fátima Roque e Guilherme Maranhão

O livro foi para a gráfica hoje e estará pronto daqui uma semana. São apenas 50 por enquanto!
Quer o seu exemplar? É para já —> deposite apenas R$40 para receber pelo correio. Nos comentários ou por email, basta dar um alô que eu encaminho os dados.

Update 05/05/2018: o livro está pronto e começa a ser enviado dia 07/05 (segunda-feira). Até o final do mês de Maio de 2018 o livro pode ser adquirido direto nesse link do PagSeguro (nesse caso R$43, já incluindo o frete de Impresso Nacional): https://pag.ae/blx8Zss depois basta me mandar seu endereço por e-mail.

Anúncios

Obscuro Mito

A Fátima Roque tinha idealizado esse trabalho sobre o retrato em estúdio, a passagem do tempo, a destruição das coisas. Isso nasceu com um conjunto de negativos que haviam sido atacados pelo meio ambiente, negativos de um estúdio lá na Amazônia. Eu acabei começando a ajudar no escaneamento da coisa e a gente olhava e ia o caminho a seguir para juntar na imagem as cores originais, as cores dos fungos. Depois fui cuidando da impressão de umas provas para a gente sacar melhor o que estava acontecendo, depois fiz um boneco na inkjet, agora testamos uma gráfica que atende pela internet para ver como ficaria o livro impresso em Indigo. Em breve por ai, vamos bolar um jeito da coisa circular.

 

Tokyo • Komiyama

Essa livraria é sensacional! Livros usados, livros raros, cópias emolduradas, uma loucura. Térreo e quarto andar são só sobre fotografia.  

Numa vitrine do quarto andar a primeira edição de Les Amèricains de Robert Frank, entre outros. 

  

 

O site deles está http://www.book-komiyama.co.jp/english.php

 

 

Prêmio Marc Ferrez • Abertura e Lançamento

Será na Casa da Imagem no dia 07 de março de 2015 às 11h.

guilherme maranhão travessia

E segue o release:

GUILHERME MARANHÃO ABRE MOSTRA INDIVIDUAL E LANÇA SEU PRIMEIRO LIVRO

O fotógrafo Guilherme Maranhão inaugura a exposição Travessia e lança seu livro homônimo na Casa da Imagem / Museu da Cidade de São Paulo. Para a mostra, o curador Fausto Chermont selecionou 31 imagens, as quais foram feitas com filmes preto e branco, fora da data de validade há 20 anos – expostos, neste período, à ação de fungos e outros agentes deteriorantes. O trabalho fala sobre um percurso, um aprender, que acontecem tanto ao viajar como também com o passar do tempo em nossa vida e em nosso trabalho diário. O projeto Travessia foi vencedor do Prêmio Marc Ferrez Funarte 2014, o que possibilitou a realização do livro e da exposição.

Imerso em um processo criativo inspirado nos ciclos da vida, nos caminhos e aprendizados, no percorrer do espaço e no movimento ininterrupto, Guilherme Maranhão encontrou diversos rolos de filmes preto e branco, cuja validade datava de 20 anos atrás. Depois de realizar testes, descobriu que os fungos ali presentes causavam modificações nas imagens, ao revelar os negativos. Sobre este passar do tempo, o fotógrafo diz: “Por trás dessas imagens, há uma relação entre os 20 anos que o filme vencido levou para ficar mofado desse jeito com os mesmos 20 anos em que eu descobri, vivi e aprendi a fotografia.”. A série Travessia surge quando o fotógrafo leva esses filmes para registrar uma viagem aos Estados Unidos (Nova York, São Francisco e Napa Valley), em 2011, dando origem a fotografias que misturam a cena real com figuras desformes e aleatórias, resultados da reação dos fungos. Neste contexto, foram escolhidas cenas que incluíam vegetação, edificações, ondas do mar e outras texturas que pudessem dialogar com os “defeitos” presentes no filme vencido. “As imagens que Guilherme Maranhão capta tem sua força própria, mas funcionam também como ferramentas de escavação: são elas que trazem à superfície as marcas que a película acumulou em sua espessura.”, comenta o fotógrafo e professor Ronaldo Entler.

Ao dar este passo em sua carreira, em mais uma mostra individual, Guilherme Maranhão se emociona com o lançamento de seu primeiro livro, que traz 63 fotografias desta série. De tudo que já fez, considera Travessia “o trabalho mais apaixonante”, pois reúne tudo que gosta no ato de fotografar: tema, técnica e a linguagem do registro analógico. Sobre este trabalho, o curador da mostra comenta: “É uma aparição, uma queda controlada no abismo. Mas longe do acaso. É uma imersão na ceva dos anos, indo buscar novos seres para povoar o nosso universo.”.

 

Exposição: Travessia

Artista: Guilherme Maranhão

Curador: Fausto Chermont

Abertura: 7 de março de 2015, sábado, às 11h

Período: 8 de março a 21 de junho de 2015

Local: Casa da Imagem / Museu da Cidade de São Paulo – www.casadaimagem.sp.gov.br/

Rua Roberto Simonsen, 136 B – Centro, São Paulo – SP

Tel.: 11 3241 1081 – ramal 103

Horário: Terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Prêmio Marc Ferrez • Travessia

Meu projeto Travessia saiu vencedor do Prêmio Marc Ferrez agora em 2014. Ele inclui uma exposição na Casa da Imagem e um pequeno livro com as 63 imagens do desse trabalho.

IMG_0053.JPG

A produção já começou, Laura Escorel trabalha no livro, Ronaldo Entler no texto que acompanha a exposição, Ana Silvia Forgiarini na produção de tudo e o Henrique e a Mônica da Casa da Imagem na expografia.

Livro-portfolio

Hoje chegaram da gráfica rápida os três livrinhos que eu encomendei. É o boneco #2 do livro Ruídos, Interferências, Acaso. O boneco #1 eu mesmo fiz usando prints de uma impressora laser, com os versos colados. O livro já chegou e já há o que mudar para o boneco #3. Isso não deve ter fim.

livrinhos

ISPR

O décimo primeiro post desse blog era sobre um pequeno livro. Um livro inspirado em alguns relatórios chamados de Improper Shipment Procedure Records.

Naquela época eu procurava uma impressora laser meio baleada para voltar a fazer esses trabalhos. Fiz esses livros enquanto fotografava peças metálicas que chegavam enferrujadas em uma fábrica. Cada foto mostra um defeito. O livro virou ISPR.