Arquivo da categoria: refotografia

Horizon Kompakt • hacks

A Horizon Kompakt é uma câmera panorâmica produzida pela KMZ e vendida pela Lomography. É o modelo mais simples de toda a linha Horizon.

O rompimento dos filmes 35mm durante o avanço tanto nas Kompakt como nas Perfekt é comum e uma coisa que fica clara rapidamente é que os sprockets da Horizon são muito fáceis de emperrar. A sequência de engrenagens que faz o contador funcionar contribui para esse problema e qualquer falta de lubrificação do contador consegue parar o movimento do filme.

Para começar, vale ver esse post aqui que mostra a montagem de uma Kompakt, não precisamos desmontar tanto, só tirar a frente de ABS.

Com a câmera sem as coberturas de plástico ABS é fácil ver do lado do disparador esse grupo de 3 engrenagens. Ao girar o contador de frames para trás, as 3 engrenagens devem se mover livremente, caso contrário, um pouquinho de desengripante e depois uma graxa nova são a solução.

Foto acima: desengripante no fundo de tudo que corre por dentro do takeup spool pode ser uma boa idéia também.

Abaixo, sequência da remontagem, caso vc tenha tirado a parte de ABS traseira, mas não é necessário fazer isso para engraxar a engrenagem do contador:
Primeiro a tampa traseira (cuidado para não perder os pinos/eixos, eles são soltos da tampa).
Segunda e terceira foto, gerenciando a instalação do botão disparador, cuidado para não arrancar ele na remontagem.

Fiz em madeira uma peça parecida com o adaptador de tripé da Manfrotto. Adicionei duas lascas de madeira mais dura nas superfícies que recebem mais pressão. Deixei secar de um dia para o outro. Preparei as superfícies do fundo da câmera e do topo do adaptador para a colagem com Araldite. Usei 4 parafusos pequenos para fortalecer essa junção.

Adaptador no lugar, cola escorrida, visor limpo por dentro (ah!), avanço do filme bem facinho, que delícia.

Anúncios

Série Balcão Fotográfico • FotoPlusTV

Primeiro episódio: Luiz Soares

Kodabromide Mofado

Recentemente ganhei um envelope bem antigo de Kodabromide W-3, essa papel foi fabricado no Brasil, provavelmente entre 1970 e 1980, um papel fibra, peso duplo, grau de contraste 3, relativamente alto para época. Não fosse o tempo que ele ficou guardado, o véu que se formou, ele ainda mofou bem em alguns pontos, criando uma série de sub-imagens interessantes.

Resolvi colocar em uso o revelador de ácido ascórbico e hidroquinona proposto pelo Patrick Gainer no artigo dele no Unblinking Eye, o link está aqui, é o revelador que dá errado nos inícios dos testes, esse que eu decidi usar. Reveladores que induzem a revelação infecciosa podem ser interessantes para papéis antigos.

Fiz um vídeo explicativo e guardei nos highlights dos meus stories no Instagram.

Encontro com o Coletivo Mofo aqui no ateliê

O Coletivo Mofo esteve por aqui, por conta da FRoFa entre outras coisas, e aproveitei para marcar um bate papo aqui no ateliê e colocar uns analógicos para trocar idéias e tal. Aproveitei para fazer um periscope e isso está disponível aqui:

Testei a objetiva Dioptro Petzval 60mm

Ontem tive a oportunidade de experimentar um protótipo da lente 60mm Petzval da Dioptro, uma objetiva para câmeras SLR e DLSR Made in Brazil! O Wagner e o Rogério da Dioptro estarão na FRoFA (24/06, próximo domingo) com esses protótipos para os visitantes poderem experimentar. Ha!

Olha só o depoimento que eu tomei do Wagner ontem e na sequência imagens feitas com essa lente numa Canon 5D Mark II:

 

Carbono • primeiros testes com Matt Fibre 200gsm

Contei um pouco do processo de criar um inkset de carbono e instalar esse inkset numa impressora Epson aqui.

No caso do inkset que criei, optei por um tinta que só serve para papéis matte. Escolhi um rolo de Matt Fibre da Hahnemuhle para começar a operar essa impressora.

Defini os limites de tinta e criei o descritor básico para o papel. Ainda não linearizei, mas acho que os prints estão fiéis aos arquivos.

Ainda estou me entendendo com margens e etc para aproveitar melhor o papel de rolo.

Fiz algumas provas de imagens em infravermelho da Patagônia e também de um reveillon. Essas últimas provas fazem parte desse trabalho que reune os registros dos últimos 25 reveillons que vivi.